Os sinais que fingimos não ver

A vida envia sinais que nem sempre percebemos. Ela indica quando devemos parar, trabalhar menos, ouvir mais, dormir mais algumas horas do que o habitual, mudar o assunto, falar menos de si mesmo, olhar menos para o próprio umbigo, discutir menos, não levar os acontecimentos tão a sério, mas nem sempre estamos atentos a hora de parar, de dar uma pausa ou de apertar o play e fazer acontecer.
Estamos apressados, impacientes e cheios de razão. Sinais das mais variadas fontes indicam que não estamos no caminho certo, mas decidimos trilhar mesmo assim.
Poderíamos pensar diferente e tomarmos decisões diferentes, fazermos escolhas melhores e talvez não sofreríamos tanto, caso tivéssemos tido um pouco mais de compreensão ou apenas de atenção sobre o que a vida estava tentando nos mostrar em todo tempo.
Quando o céu fica escuro, as estrelas desaparecem, os trovoes e relâmpagos se manifestam, logo identificamos o sinal da chuva. Somos tão craques em identificar os fenômenos da natureza e tão falhos, cegos ou desatentos quando somos nós mesmos que devemos sentir que não estamos bem, que o outro não está bem e que precisamos cuidar um dos outros e juntos nos tornamos criaturas melhores.
Você tem estado atendo aos sinais?