A decisão de ser feliz é toda sua: o que é ser feliz, afinal?

Ser feliz é uma escolha séria que você precisa decidir em benefício próprio.
Eu só consegui sentir a felicidade quando aprendi a deixar algumas coisas irem embora da minha vida. Sabe aqueles excessos materiais ou sentimentais? Então, eu comecei a fazer uma faxina mental retirando da minha mente todos os pensamentos de tristeza, de lembranças ruins, de negação, de angústia ou frustração. Eu passei a substituir cada sentimento ruim por um sentimento bom.
Um dia eu acordei e decidi: só tem espaço para a leveza de ideias, de palavras e de sentimentos. Tudo que for cobrado demais, exigido demais ou pressionado demais não é pra mim, não me cabe, não me completa e não me satisfaz. Tudo que possa me desequilibrar ou me tirar do eixo não faz sentido.
A mente pede por quietude, silêncio e alegria. O coração pede por paciência, tolerância, compreensão e gotinhas mágicas de amor, doçura e carinho. No final mente e coração permanecem saudáveis, limpos e fortes.
O coração pede por espaço e só conseguimos agregar algo bom se deixarmos o desnecessário ir embora. A vida vai ganhando um novo formato. Ser feliz é conhecer a si mesmo em essência, é desvendar o motivo da tristeza descartando logo em seguida por um bocado de doses de alegria, gratidão e reconhecimento de todas as batalhas vencidas.
Ser feliz é sorrir mesmo quando dói, dilacera ou quando a angústia já tirou o brilho dos nossos olhos. É decidir que o jeito de olhar para o que não está legal precisa mudar. Imagina olhar para o problema e reconhecer uma oportunidade para evoluir e tirar proveito do novo desafio.
Ser feliz é conseguir gargalhar mesmo com o coração costurado devido tantas traições, ilusões, mentiras e chateações. Ser feliz é colar os pedacinhos do que sobrou de nós. Sem exigências maiores. Apenas seguindo o velho desafio que é encontrar motivos para sorrir mesmo quando tudo estiver crítico, preocupante, desesperador.
Um dia sem querer você vai acabar dividindo o que você tem e isso vai ser a sua maneira de ser grata pela felicidade que existe dentro de você. Aprender a dividir é compartilhar com o outro o amor que pulsa dentro do seu coração. Ser feliz é contribuir para a felicidade do outro também. Não basta se sentir bem, contente, animado e cheio de graça. É preciso ajudar e mostrar ao outro que é possível ser feliz mesmo em um mundo que te oferece de bandeja centenas de motivos para não ser tão feliz.
Ser feliz é tornar a amargura do outro o seu maior incentivo para não se tornar infeliz também. Ser feliz também é observar os erros do outro não como um motivo para apontar o dedo e aumentar a ferida alheia, mas para refletir e tentar não cometer as mesmas falhas.
Siga a sua vida do seu jeito. Não existe um contrato assinado. Ninguém é bom o bastante para condenar os seus defeitos, a sua escolha de vida ou criticar as manias que possui.
Você não está sendo supervisionado por ninguém. A vida cobra do jeito dela, você se cobra do seu jeito e o outro espera, exige e deseja tanto de nós, mesmo quando nos dá tão pouco de si.
Ser feliz é saber que é preciso focar no que é importante, especial e no que toca os nossos corações. Ser feliz é planejar e sonhar. Sempre dando uma brecha para as surpresas da vida enviadas por Deus. Falando nele, ser feliz é ter fé em dias melhores, tempos de fartura, de bonança e de riso solto.
Ser feliz é compreender que a vida é bonita do jeito que é mesmo com percalços aqui e ali.

Hoje decida ser feliz.